Luso-Estudantes
    La page des membres  
Accueil
Actualités
Cours de Portugais
Luso-Folha
Nos activités
La page des membres
Fichier du mois
Liens
A l'heure lusophone
Archives
Contact
Ville de Rixheim

© 2016 luso-estudantes

les luso estudantes au travail :-)

Notre association compte aujourd'hui de plus en plus de membres. Pour ceux qui le désirent, nous consacrerons cette page à leur présentation, qu'ils nous expliquent leurs motivations, et pour certains d'entre eux nous publierons leurs oeuvres, travaux ou initiaves. 

Exposé Powerpoint

Lors de nos cours de portugais, les Luso-Estudantes préparent des exposés sur divers sujets ayant attrait à l'art, la culture ou les traditions lusophones. Vous pouvez désormais vous aussi consulter ces exposé en powerpoint sur la page qui leur est dédiée: cliquez ici.

Décimo terceiro Encontro de Poesia

Se fosse um passaro

Se eu fosse um passaro,
A gaivota seria.
As asas abertas,
sobre o oceano eu voaria.
A pique eu mergulharia
para roçar as ondas espumosas
e trazer no neu bico amarelo
o peixe cintilante.
No pontão, com olha alegre,
os pescadores consertando redes
eu observaria.
Gritando em volta dos barcos
eu giraria
para anunciar aos marinheiros
a costa onde podem lançar a âncora.
E a noite, ébrio de bruma e de liberdade,
no oco de uma rocha eu me adormeceria.

Brigitte DASILVA
Avril 2012

Décimo segundo Encontro de Poesia

Gribouille

Ele se chamava Gribouille.
Gribouille porque tinha o focinho cinzentinho.
Quando nos encontrámos, Ainda não tinha três meses.
Todo trémulo, menor que a minha mão.

Tinha muita personalidade.
Escohlendo quem pudesse acaricia-lo.
Nunca me deixava sozinha !
Sempre nos meus pês na cozinha !
Sempre nos meus papeis no escritório !
Sempre nas minhas pernas no salão !
Tivemos juntos longos diálogos...
Tracávamos longos olhares enamorados...

Pelagem cinzenta, macia,
Consolando-me de todas as minhas dores
Presença carinhosa, remédio prá solidão,
Sempre me acolhendo, quando chegava em casa.

Gribouille! Gribouille! Vem aqui, é hora de comer !
Porém, Gribouille nunca mais virá correndo para mim
Gribouille se foi ao paraíso dos gatos prá sempre...

Palmire Guallar

Caros Amigos
Caros Leitores

Um novo ano està em nossa frente.

O maior desafio é enfrentarmos a nós mesmos, seja materialmente ou espiritualmente. Não existe maior gesto de coragem que assumir “os defeitos” e tomar a iniciativa de enfrentá-los e de corrigí-los.

As virtudes morais e a caridade feita, são tesouros que levamos ao voltar para casa e que podemos compartilhar. Por que não, nestes tempos difíceis, ser altruísta e investir-se mais?

Desejo-Ihe coragem esperança e autoconfiança para assumir as responsabilidades e iniciar os compromissos que são seus.

O vosso presidente
Patrick Laurent

La page du trombinoscope

Vous pourrez retrouver les membres de l'association sur une page qui leur est consacrée, les membres se présenteront au fur et à mesure des mises à jour. Cliquez sur les photos pour ouvrir la page.

                          

Le mot du Président

Mensagem de amor e de amizade

A vida é como a areia, vai-se embora entre as mãos sem que possa retê-la.
A morte é como a chuva, nos cai as vezes em cima sem avisar.

Uma nota de luz
Uma nota de serenidade
Uma nota de paz
Uma nota de amizidade
Uma nota de amor
O meu desejo é que a vida seja baseada em todas estas notas
Que dara uma bonita frase musical
Que terra inteira cantara.

Muito obrigado a vocês que trabalham para a felicidade dos outros.
Feliz Natal e Bom Ano Novo aos membros de Luso-Estudantes e também a todos os leitores.

Patrick Laurent 

Undécimo encontro de Poésia

Meu amor todo de vermelho

Olhando-te, meu rosto cora-se de encantamentos,
O meu coração, vermelho ardente bate aos saltos.
O meu sangue, rubro carregado de ternos sentimentos,
Corre no meu corpo carmesim de amores. A rosa que na minha mão de purpura resplandecente,
E o simbolo do meu amor escarlate.

Emile Decker,
Outubro 2011

Photo de classe 2010/2011

 Décimo Encontro de Poesia

Amarelo

Arco-íris, ô arco-íris!

O que é mais lindo que o arco-íris?
Tu brilhas de todas as tuas cores,
inacessível em tua curva celestial.

No meio das nuvens negras,
Partilhando o céu escuro,
Há, teu amarelo, que traz alegrias.

Cada vez a chuva lavará o mundo,
Um arco-iris aparecerá no ceu,
Oferecendo as preciosas cores da vida.

Eu Colho o botão-de-ouro, o girassol,
flores amarelas, cor do sol e da felicidade.
Amarelo, simbolo da riqueza material
mas também espiritual!

Brigitte Brémon
Luso-Estudantes – Maio 2011

Nono Encontro de Poesia

Pirilampos

Tal o vaivém duma borboleta violeta
Voando para um céu azul anil,
Sigo a linha da minha amarelinha
Na tardinha iluminada de pirilampos, cores mil.

As ricas primaveras, quantas cores nos dão,
Tal qual um arco iris de beleza e prazer
Num vermelho fogo de sol de verão
Oh! verde esperança... como te quer ver!

Adélia Barranco

Le mot du président

Caros amigos,

Que esta Nova Era nos permite a redescobrir os nossos valores fundamentais e Humanos que manteremos controlados, e que não são susceptiveis de ser submetido a varias mudanças hipotéticas.

Que este ano 2011, que continua a ser descoberto e conquistado, nos permite a cultivar a serenidade, a humanidade e a perseverança. Recebemos com bonus; o respeito dos outros, a esperança, a alegria, e o amor.

Muito obrigado a vocês que trabalham para a felicidade dos outros.

Feliz Natal e Bom Ano Novo aos membros de Luso-Estudantes

Patrick Laurent

Oitava encontro de poésia

Minha Vida começou,
No dia que te encontrei,
Com amor andamos, longos anos,
Com amor construimos,
Com amor crescemos,
Com amor continuamos.

Hoje a minha vida segue
Contigo meu amor, sempre,
Plena de alegria, de luz, de esperança.
Olhando atras, a estrada percorrida,
Olhando a frente com amor,
O caminho, as vezes dificil, mas tão rico.

Agradeço os encontros
Que marcaram nossos passos
Obrigada a vida
Obrigada ao amor

Marie France Decker

Sétimo encontro de poésia

Meus tesouros

Que prazer de ver alegrar-se minhas netas Sarah e Maeva.
Maeva, com seus olhos castanhos, seu cabelo comprido,
Sarah, linda loura, seus olhos azuis, e um jovial sorriso.
Gostam de brincar, sempre juntas, tão cumplices...
Sarah, imitando sua irmã, em todas suas mimicas.
Para a familia, elas são um verdadeiro tesouro.
Estas duas meninas, fazem a alegria imensa.
Dos pais, do avô e duma avozinha, encantada.

Jacqueline Laurent
Fevereiro 2010

Sexto encontro de Poesia

A espera

Mar bravo, encapelado,
Estrondo das ondas no rochedo,
Na alma o medo,
Saudades...

Sentada no chão,
Um aperto no coração,
Uma duvida, um receio, à espera...
Na sua mão, a areia,
Entre os dedos, escorre-se, devagar.
Não conta, as horas a aguardar.

Com os olhos rasos de água
E inevitavel,
Ela avista o mar perigoso, indomável.
Mas calmamente, sempre ela espera...

Ao crepúsculo,
As luzes do farol brilham de todos os fogos.
Ao longe, movimento, agitação, ruídos,
Um cheiro de peixe fresco, no porto.
Mais uma vez espera por algumas,
Felicidade por outras.

Ninguém... ninguém!
Saudades, na alma,
No coração, uma lágrima,
Trauteando uma canção,
Tristes letras, repletas de afeição,
Ela vai embora.
Na esperança de ver amanhã,
Voltar o seu namorado,
O seu valente pescador.

Martine Bauer
janvier 2010 

Le mot du Président

Caros amigos,

Obrigado por tudo o que você fez até agora. Luso-Folha, Poesias, Cursos de português, Eventos, Encontros, Baile, Musica, Canções...
Que pedir mais, se não é a continuidade da nossa aventura lusofona e agradecer a Deus que nos deu a oportunidade de encontrar-nos e deu-nos a fora de perseverar.
Eu lhes almejo boas festas e um NOVO ANO pleno de afetos verdadeiros. Desejo plenatmente a continuidade de nossa contaminaão lusofona que podem ser consumida sem moderação.

Vosso Presidente
Patrick Laurent

Natal Inverno 2009

As Luzes de Natal

Quando menino, eu olhava as luzes de Natal
Com felicidade e sonhava...
Feérico das cores que encantavam,
Na espera dos presentes do Papai Noel

Hoje, ao Outono das meus dias,
Como sempre, estas maravilhas
No meu coração despertam,
Os presentes com amor recebido da vida.

Emile DECKER

 Quinto encontro de poesia: Outono

Dias sombrios

Chamuscada de sol, reluzente de bruma,
A folha, lentamente, desprende-se,
Coloca-se nas asas duma brisa nascente.

Nuvens de algodão, se amontoam no horizonte,
Aço cintilante, destacando num céu irisante,
Anunciando a mudança do tempo.

A chuva, bátega, cortina enfadonha
Prantos de meninos, saudade de ontem,
Afogamento de desgoto, presságio de desgraça.

Outono, ouro, ferrugem, flamejante,
D’antes dos ventos, d’antes da neve.
Outono, cinzento, prateado, estanho
D’antes das geadas do inverno.

Palmire Guallar
Agosto 2009

 

Quarto encontro de poesia: Verão

Alegria do verão

É o verão.
Estamos de férias.
Todos juntos em volta dum lago,
Fazendo uma festa gigante,
Devestidos debaixo do sol ardente.
É hora de jogos, hora de brincar !
Explosão de rir ao nosso redor.
Alegria do verão, alegria de partilhar
Estes momentos, privilegiados.
O calor entra nos corações,
Radiosos, deste reencontro familiar.

Marie France DECKER

Aguardando o verão

Os gritos das crianças se afastam da escola,
Canetas, cadernos, esquecidos no fundo da mala.
Amanhã partirão, cada um por seu lado,
Pela praia, a serra ou ao redor dum lago.
Outros vão brincar, perto da casa, do bairro, da cidade,
Mas todos vão lograr*, com muita felicidade,
Estes meses de férias, tempo caloroso de verão
Que sempre aquece o corpo e o coração.

Marie MARQUES CARTIGNIES

 

Verão na serra

A montanha vestiu o seu fato de verão,
A cimeira guardou seu chapéu de nevão1.
Os abetos verdes, coloram sua blusa fina,
Os trigos ondulantes, irisam sua roupa dourada.
O caminho sinuoso leva-me devagar, pelas montanhas.
No bosque tépido, o enho em libré2 de pontos brancos
Fica imóvel, e dos seus grandes olhos surpreendidos,
Mira a águia que desliza3 sobre o vento, com suas grandes asas
O ar perfumado de aromas vibra de calor.
Os grilos cricrilam de fervor.
As flores policromas convidam as abelhas,
A provar o néctar destas maravilhas.
Aqui está o verão ! com os seus quadros luminosos,
Os seus odores inebriantes, que despertam os nossos sentidos.
Em perfeita harmonia com esta estação, sinto-me
Como o lagarto4 preguiçoso5, que ao sol aquece.

EMILE DECKER

Terceiro encontro de poesia: Primavera!

Linda Primavera

Vem, Vem, minha linda Primavera,
Varre os dias tristes do Inverno
Pinta com alegria a nossa Terra,
De verde, de branco, de amarelo.

Suaves cores, das primeiras flores,
A frágil bonina, a terna primavera
Tantos perfumes, tanta beleza,
Ricos presentes da Natureza.

Marie Marques Cartignies

Início da Primavera

As longes noites do inverno desasparecem,
Mas deixam em nossos corações doces lembranças.

As árvores têm agora suas primeiras folhas.

Timidamente, algumas flores saem de relva, enfim!
E todos essas lindas cores alegram nosso jardim.

Ao longe, um pássaro entabula um canto maravilhoso
E deste doce barrulho espanta o menino.

O sorriso aparece de novo na natureza. Estamos no início da primavera!

Martine Bauer

A volta da Primavera

O céu escuro,
Uma chuva fina,
O vento sopra,
Um hálito frio.

Súbito, o sol com seus raios,
Acaricia nos rostos.
As lágrimas do céu o solo rejeita,
Em fina renda vaporosa.

Um perfume de ervas molhadas,
Recorda-nos esquecidos aromas.
Sobre as árvores sem verdes mantos
Ressoam os pios das passarinhons.

Encantado de tanto prazer
Todo o meu ser
Me dito com alegria
E a volta do Primavera

Emile Decker 

A travers notre président, c'est toute l'association qui vous souhaite une bonne et heureuse année:

Caros amigos

Para este ano novo desejo-vos muitos sucessos, felicidades e muito entusiasmo na condução da nossa paixão lusófona. Ela traz esperança e alegria.

Possuídos por essa magia, fazei beneficiar e distribuir essa profunda riqueza aos outros.

Patrick LAURENT

Les fêtes de fin d'années ont inspiré les luso-estudantes, voici 2 poèmes sur le thêmes de Noël:

As arvores tristes, desnudas da cidadade
Vestem em dezembro um fato de qualidade
Fitas de prata iluminadas, estrelas douradas
Tantes luzes que brilham nos olhos das crianças
Como um sonho, uma promessa... a volta do Natal!

Marie Marques Cartignies

Esperando Natal

Lá fora a neve cai em grandes flocos,
Todos os meninos decoram os abetos,
Só os veados tiritam debaixo das estrelas.
O Natal aproxima...
As crianças serão reis em casa.

Martine Bauer

Grâce à Adélia, notre professeur, nous allons mettre en place à partir du mois prochain, sur la partie portugaise du site, un calendrier brésilien. Mais quelle est la particularité d'un tel calendrier me direz-vous? Eh bien au Brésil, les jours ne sont pas attribués aux saints patrons, mais à des professions, des commémorations, des bonnes causes...

Pour le mois de mai par exemple, le 07 est le "Dia do Silêncio", le jour du silence, tandis que le 22 est le "Dia do Apicultor", le jour des apiculteurs. Retrouvez la totalité des jours dès le mois prochain.

Je vous avais présenté il y a quelques mois de cela, sur la page "fichier du mois" le chanteur portugais David Fonseca. Il préparait alors son concert dans l'une des salles les plus emblématiques du pays: Le Coliseu dos Recreios de Lisbonne.

J'ai eu l'immense plaisir de me rendre à ce concert. En plus de profiter du soleil portugais et de la beauté de cette ville qui me surprend à chaque fois, j'ai pu assister au spectacle d'un artiste talentueux, complet et inventif.

          

Il chante majoritairement en anglais, comme sur cette vidéo, faite le soir du concert, juste pour vous donner l'impression d'y être aussi, avec moi au milieu de cette foule. Et de vous montrer la diversité et l'énergie de la scène musicale portugaise. 

Marilyne

Notre page MySpace:

MySpace est un des plus importants réseaux sur internet, il permet de relier entre eux les amis ou les gens ayant des intêrets communs. Beaucoup d'artistes ont leur propre page et la richesse de la musique Lusophone est telle, que la création d'une page pour l'association m'a semblé une bonne idée pour nous "relier" à tous ces artistes, et ainsi vous faire connaître le plus d'artistes possible.

N'hésitez pas à me proposer des artistes et groupes lusophones que vous appréciez. j'ai commencé à envoyer des invitations, notre petit réseau grandit de jour en jour, et j'en profiterai pour renouveller les chansons en écoute régulièrement. J'espère que la page vous plaira (cliquez sur le logo).

Marilyne  

Nous entamons notre année sur le Brésil, et c'est donc tout naturellement qu'un de nos membres brésiliens est mis à l'honneur: Fernando est le gérant du magasin de produits brésiliens Bem Brasil. Situé à Saint-Louis, il offre la possibilité de découvrir ou de retrouver l'artisanat, la culture et la gastronomie brésilienne. Belle initiative!

Retrouvez toutes les infos sur http://www.bembrasil.fr/

Commençons cette année 2008 avec le message du président:

Mensagem de amor e de amizade

A vida é como o areia, vai-se embora entre as mãos sem que possa retê-la.
A morte é como a chuva, nos cai às vezes em cima sem avisar.

Uma nota de luz
Uma nota de serenidade
Uma nota de paz
Uma nota de amizade
Uma nota de amor
O meu desejo é que 2008 seja baseado em todos estas notas
Quem dará uma bonita frase musical
Que a terra inteira cantará.

Muito obrigado à vocês que trabalham para a felicidade dos outros.
Feliz Natal e Bom Ano Novo aos membros de Luso-Estudantes

Patrick Laurent

Marie nous propose une petite gymnastique de l'esprit avec ce mots croisés en portugais. Tous au travail, la solution sera publiée le mois prochain ;-)

 PALAVRAS CRUZADAS Cliquez ici

Voici la solution!

Comme beaucoup de nos membres, je ne possède pas d'origines portugaises. C'est en partie, la découverte de Lisbonne qui m'a donné envie de découvrir plus sur la culture du pays. La photographie étant un autre de mes passe-temps, je vous propose deux séries de photos, réalisées lors de mes voyages dans la capitale portugaise.

Marilyne

Sous le soleil estival:

   
 
Lisbonne en automne:

  

Nous avons également parmi nos membres des luso-descendants, comme Maria do Céu, voici son premier poème en portugais, écrit à l'occasion de la journée mondiale de l'eau.

"Orvalho
Da geada do inverno
Da aurora de um dia de verão
Do primeiro raio de sol
Nasce a gota de orvalho
Que a natureza faz tanto bem

Chuva
Como uma doce carìcia
Chuva silenciosa e fina
Cobre o campo e a planicie
Rega, inesgotavel, na primavera
Jacintos, tulipas e flores da cerejeira

Trovoada
Céu cheio de raiva, trovoada do verão
Que deita ao chão, aveia, e trigo dourado
Transforma o ribeiro em torrente
Destrui a margem e a ponte
E rapidamente inunda a cidade, e a região.

Agua de vida
Nuvem branca do céu
Calma e doce que desce da serra
Ou terrivel, violenta e escura
A agua e nossa vida Sem ela nesta terra nada seria..."

Maria do Céu MARQUES DE LIMA
Meu primeiro poema em português
22 Março 2007, dia mundial da agua